Erros de relacionamento – Converte seu casamento em uma batalha de sobrevivência

Os erros comuns de relacionamento que você faz no seu casamento o convertem em uma batalha de sobrevivência, não é?

evite cometer erros irrefletidos de relacionamento se quiser que seu casamento funcione

Você costuma brigar com seu cônjuge em relação a muitos problemas familiares. Você nunca percebe que os problemas de sua família podem ter soluções, apenas quando ambos colocam seu erro para resolvê-lo.

O casamento tem tudo a ver com compromissos e responsabilidades mútuos, não é?

Mas, infelizmente, você nunca se une para trazer soluções para seus problemas familiares. Na verdade, você considera uma oportunidade de acusar seu cônjuge como a razão por trás dos problemas que a sua família está enfrentando.

É por isso que você freqüentemente briga com seu cônjuge por razões mesquinhas.

“Meu marido mantém a mãe quando há problemas familiares. É como se ele pensasse que é minha prerrogativa como esposa lidar com questões familiares. Quão egoísta ele pode ser? ”Palavras de amargura de Sarah, uma garota que eu conhecia.

“Minha esposa nunca nota minha contribuição para a família. Mas ela é a primeira a me acusar de problemas familiares que surgem ”, foi o triste comentário da minha prima.

“Minha esposa nunca confia em mim. Sempre que me atraso do trabalho, todo o inferno irrompe quando ela me abusa de me divertir atrás das costas – palavras de frustração do meu vizinho.

Todos os erros de relacionamento tolos e evitáveis, não é?

Mas esses erros de relacionamento transformam seu casamento em uma amarga coexistência entre vocês, não é?

“Não há relacionamento, comunhão ou companhia mais amável, amigável e charmosa do que um bom casamento.” Martin Luther

Nunca continue cometendo erros persistentes no relacionamento, pois isso poderia levar seu casamento ao tribunal de divórcio.

Sim!

Os erros de relacionamento inevitavelmente fazem incursões devastadoras de destruição em sua vida de casados.

1. Ser silencioso em vez de apoiar

Você fica em silêncio quando deveria estar conversando com seu cônjuge.

Confuso?

O que você faz quando vê seu cônjuge com aparência desalinhada?

Você desconsidera e faz o seu trabalho, já que não quer se envolver em discussões indesejadas com ele. Você sente que seu prato está transbordando com seus próprios problemas. Quando você está muito concentrado em si mesmo, nunca entende o núcleo de um bom casamento – o apoio emocional.

Sim.

Seu cônjuge precisa do seu apoio emocional. Ele precisa de suas palavras de carinho.

Aqui está o que você deveria fazer.

  • Converse com sua esposa sobre os problemas dela.
  • Ouça com atenção o que ele diz.
  • Faça o seu cônjuge sentir que ele tem o seu apoio incondicional.
  • Faça-o sentir que você sempre irá protegê-lo.
  • Não se afaste do seu cônjuge comportando-se de maneira antipática.

Sua demonstração de preocupação e cuidado fortalece seu casamento.

2. Olhando através do seu cônjuge, em vez de notar

Olhando através de seu cônjuge é mais um erro comum de relacionamento que você comete.

Quando o seu cônjuge parece o seu melhor, você o ignora completamente. Você nunca elogia ele. Quando o seu cônjuge é promovido, você fica feliz com os benefícios monetários que ele oferece. Você ignora friamente o trabalho duro que ele coloca para ser bem sucedido.

Este não é o caminho para viver o seu casamento.

  • Aprecie seu cônjuge pelo seu sucesso, por menor que seja.
  • Transmita como você está orgulhoso pelo seu sucesso.
  • Um abraço caloroso e um presente surpresa farão tudo muito especial.

Você sabe apreciar os bons aspectos de seu cônjuge melhora sua vida de casado?

3. Desrespeitar, em vez de respeitar

Você costuma abusar verbalmente do seu cônjuge, não é?

Você nunca pensa muito sobre as palavras desrespeitosas que costuma usar quando interage com ele.

Usar palavras abusivas é outro erro comum de relacionamento que você comete.

Você diz palavras que causam uma tremenda mágoa na mente do seu cônjuge, sem pensar no seu impacto negativo. Você ridiculariza a aparência do seu cônjuge, o que o torna completamente contra você. Você faz comentários indevidos sobre a família do seu cônjuge, fazendo-o ficar ressentido.

Nunca faça isso.

  • Seu cônjuge merece respeito de você.
  • Você quer que seu cônjuge te respeite, não é?
  • É o mesmo com ela.

Quando você respeita seu cônjuge, ele se sente emocionalmente seguro com você.

4. Desconfiança, em vez de confiar

A suspeita pode destruir qualquer casamento.

Verificar as chamadas móveis do seu cônjuge cria uma sensação de incerteza em seu casamento. Verificar com seus amigos sobre suas atividades é mais um erro comum de relacionamento. Fazer perguntas suspeitas e suspeitas quando seu cônjuge está atrasado no trabalho torna sua interação amarga e hostil.

Você pode viver pacificamente se tiver dúvidas de que seu cônjuge está se divertindo nas suas costas?

Seu relacionamento vai murchar se você fizer isso. Ser suspeito e criar cenas feias são sinais definidos de um casamento não saudável. A suspeita faz você se afastar um do outro e se torna impossível salvar seu casamento.

  • Confiar um no outro é uma necessidade absoluta para uma boa vida conjugal.
  • Você deve confiar que seu cônjuge nunca irá trair você.

5. Comparando negativamente, em vez de encorajar

Comparando o seu cônjuge com os outros é mais um erro de relacionamento comum que você entrar.

Ambos cometem esses erros indesejados deliberadamente.

Seu marido compara você com suas colegas mais bonitas. Ele passa comentários contundentes que você não é páreo para eles. Você se torna selvagem com raiva de sua audácia.

Sua esposa o incomoda de que você não é bom se comparado aos seus parentes mais bem sucedidos. Você está furioso.

Ambos se irritam quando seu ego é destruído pelo outro.

  • Nunca compare seu cônjuge com os outros. Ele odeia isso.
  • Não o degrade antes de seus amigos / parentes. Seu cônjuge se sente insultado.
  • Incentive a capacidade do seu cônjuge.
  • Aprecie os bons aspectos dele.

Incentivar seu cônjuge é uma maneira simples de tornar seu casamento satisfatório e satisfatório.

CONCLUSÃO

Você pode ver como você faz esses erros comuns de relacionamento?

Você nunca comete esses erros intencionalmente. Você faz isso sem pensar, sem perceber o impacto desmoralizante que tem em seu casamento. O dano que tais erros causam à sua vida conjugal é enorme e irrevogável. Destrói a sua felicidade, paz e estabilidade metálica.

Muitos casamentos desmoronam-se devido a esses erros desnecessários. Então, evite a qualquer custo para salvar seu casamento.

Nossa mãe quer doar seu corpo e nós não queremos que ela | Vida e estilo

Nossa mãe tem 81 anos em boa saúde física e espírito, e deseja doar seu corpo para pesquisa médica após a morte. É muito importante para ela – ela vê isso como algo que está devolvendo (ela fez um transplante há alguns anos). Mas minha irmã e eu estamos tendo dificuldades com essa decisão.

Quando a mamãe passa, nós terá que fazer um telefonema para o bequeathal escritório rapidamente e, se ela ser aceita, é essencial que seu corpo é transportado dentro de duas a três horas. Examinamos a possibilidade de um atraso antes que o corpo seja coletado, mas parece que não há um.

Minha irmã e eu estamos chateados sendo negada a oportunidade de passar tempo com a mãe depois de sua morte. Nós dois passamos um pouco de tempo com nosso falecido pai antes de seu funeral, e descobrimos que isso é útil para o luto e nosso sentimento de encerramento.

Mamãe sabe como nos sentimos. Pedimos a ela que reconsiderasse com o benefício de uma explicação clara de nossos sentimentos e pensamentos. No entanto, apesar disso, ela está completamente determinada. Historicamente, a família ter desconsiderado o que eu penso como sem importância, então saber que mamãe ouviu a minha opinião, mas está escolhendo seguir seus próprios desejos. como outro invalidação.

Nós nos importamos muito que nossa mãe é capaz de sentir paz e confiança ao se aproximar dos últimos anos de sua vida, mas Parece que não conseguimos encontrar um meio de satisfazermos as nossas necessidades e desejos.

Eu realmente sinto por você. Ser capaz de passar tempo com um ente querido depois que ele morre pode ser realmente especial, mas nem sempre é possível, por uma infinidade de razões. Eu posso ver que a incerteza também está causando muita angústia. É porque você está se concentrando tanto em sua morte e sente que deveria haver um elemento de controle sobre ela, o que não existe. A morte é sobre deixar ir.

(Voltaremos ao controle de palavras daqui a pouco.)

Você parece saber, da sua carta mais longa, muito sobre o procedimento, mas para aqueles que não o fazem, isso varia de acordo com a instalação local. Normalmente, os corpos podem ser aceitos até cinco dias após a morte, se corretamente tratados. Portanto, sua instalação querendo em poucas horas é realmente muito rápida.

Mas vamos cortar a emoção disso, só por um momento. Sua mãe expressou seu desejo e, presumivelmente, assinou os documentos relevantes (somente ela pode dar permissão e seu corpo não será aceito sem seu consentimento assinado). Como você declara, você não tem obrigação legal de ligar para o centro médico e não vai violar a lei se você não fizer isso (eu verifiquei com um advogado). Mas sou de opinião que, se alguém comunicou os últimos desejos e você é capaz de realizá-los, então você tem a obrigação moral de fazê-lo. No momento, você está se concentrando no que você e sua irmã querem depois que sua mãe morre, e como isso traria paz para você. Mas eu me pergunto como você realmente sentirá, em sua situação imaginada de passar tempo com sua mãe depois de sua morte, sabendo que você não fez a ligação e não vai realizar seu último desejo? Como você se sentirá quando estiver sentado com ela, sabendo que não está fazendo o que ela queria?

Há muito mais acontecendo aqui. Você insinua a si mesmo: seus sentimentos de invalidação e que suas necessidades emocionais não foram satisfeitas há muito tempo. Mas nessa ocasião, talvez sua mãe tem escutei você e simplesmente não concordo com você. Isso não é invalidação, mas uma diferença de opinião. Eu acho que você está tentando controlar o incontrolável, que é a morte do seu último pai vivo. Eu já vi isso antes de uma forma ou de outra; Eu acho que provavelmente faço isso sozinho.

Há muitas coisas que você pode fazer para marcar a morte de sua mãe quando chegar a hora. Você ainda pode celebrar sua vida. Você pode tentar passar um tempo significativo com ela agora, enquanto ela estiver viva. Eu sei que não é o que você quer, mas eu realmente acredito que ir contra sua vontade não lhe daria uma paz duradoura. Sua jornada para aceitar sua decisão e, ao fazê-lo, aceitar o fato de que ela morrerá um dia significa que você está realmente fazendo um bom trabalho em sua dor agora.

Permita-se o luxo de deixar ir e ir com sua decisão. Ela pode não ser capaz de controlar o que acontece depois que ela morre, mas, enquanto ela estiver viva, ela precisa acreditar que pode.

A Autoridade de Tecidos Humanos: hta.gov.uk.

Envie seu problema para annalisa.barbieri@mac.com. Annalisa lamenta não poder entrar em correspondência pessoal.

Os comentários sobre esta peça são pré-codificados para garantir que a discussão permaneça nos tópicos levantados pelo artigo.

10 maneiras de lidar com os nervos antes de se encontrar pessoalmente pela primeira vez

Enquanto eu estava esperando no aeroporto para conhecer Mike pela primeira vez em nosso relacionamento de longa distância, eu estava nervosa.

Piedosos. Vaca. Nervoso.

Eu meio que queria fugir nervosa.

Poderia isso-possivelmente-trabalhar-ou-sou-eu-completamente-louco nervoso?

Mike calcula que ele não estava tão nervoso. Ele diz que se sentiu um pouco inundado por dúvidas e teme a noite antesele entrou no avião, mas quando ele acordou na manhã em que estava voando para Brisbane, ele se sentiu bem. EU, por outro lado, estava muito bem até o dia em que iríamos nos encontrar, então eu me assustei.

Aqui está a linha de fundo sobre este tópico de nervos e reunião pela primeira vez … Quase todo mundo vai sentir alguma combinação intensa de nervoso / assustado / animado antes de conhecer pela primeira vez. Mas esses nervos provavelmente os atingirão em momentos diferentes e aparecerão de maneiras diferentes.

Coisas com as quais as pessoas costumam se preocupar antes da primeira reunião

Então, antes de falarmos sobre como controlar esses nervos, vamos dar uma olhada em algumas preocupações ou pensamentos comuns que as pessoas têm antes de conhecer pela primeira vez.

Aqui estão apenas alguns:

  • Eles vão gostar de mim na vida real?
  • Eu vou gostar eles na vida real?
  • Será que vamos sentir essa “química” de x-fator efervescente de que as pessoas falam?
  • O beijo (e o resto) será bom?
  • Vamos ficar sem coisas para falar?
  • Nos sentimos tão à vontade nos comunicando a longa distância, mas estaremos juntos em pessoa nos sentindo estranhos e esquisitos?

Eu me perguntei sobre a maioria dessas coisas antes de conhecer Mike pela primeira vez. De fato, muitos desses mesmos tipos de pensamentos apareceriam antes de cada vez que nos reuníssemos depois de nos separarmos. Isso aconteceu por um longo tempo depois que oficialmente nos tornamos um casal, e mesmo depois de nos casarmos.

Durante os primeiros anos de nosso casamento, Mike passou metade do tempo viajando para diferentes países para trabalhar. Ele estava sempre ausente por um mês de cada vez. Às vezes mais. Muitas vezes, antes de seu retorno, eu me pegava preocupado que Mike tivesse mudado – que eu olhasse para ele do outro lado da mesa de jantar aquela noite e me perguntasse se eu o conhecia. Eu me preocuparia que nós nos esforçássemos para encontrar coisas para conversar enquanto nós estávamos dirigindo para casa. Eu me preocuparia que ele tivesse uma chance dupla depois de me abraçar e de repente se perguntar o que diabos ele estava fazendo comigo.

Essas preocupações nunca aconteceram, por isso é tentador para mim olhar com desprezo para o meu eu mais jovem e escrever toda essa preocupação e nervosismo como energia desperdiçada. E de certa forma era exatamente isso – energia desperdiçada. Mas você sabe o que esta tendência a ficar nervoso antes de reuniões fez Faça por mim? Isso me deu muita prática em reconhecer a forma e a sensação de ansiedade em minha vida e em aprendendo a gerenciar essa ansiedade.

Então, vamos conversar sobre coisas que você pode fazer para gerenciar seu ansiedade e ajuda a manter os primeiros nervos sob controle.

10 estratégias inteligentes para ajudar você a lidar com os nervos antes de sua primeira reunião

1. Admitir os nervos

Se você está nervoso, conte para eles. Compartilhar como você está se sentindo ajuda você a se sentir mais calmo e a saber onde você está. Também ajudará vocês dois a serem mais compreensíveis se as coisas parecerem um pouco estranhas inicialmente se você admitir os nervos antecipadamente.

2 Fale sobre o que você quer que sua primeira reunião seja como antes você conhece

Antes de chegar ao momento incrível da primeira reunião, converse sobre o que você espera que seja. Isso ajudará você a gerenciar as expectativas e evitar fazer algo que possa deixar a outra pessoa desconfortável naquele momento especial.

Por exemplo, muitas pessoas que eu conheço em relacionamentos interurbanos sonham em caminhar pela porta de chegada, pegando essa pessoa incrível que elas foram absolutamente morrendopara conhecer e imediatamente compartilhar um beijo longo e apaixonado.

Mas nem todo mundo quer isso! Algumas pessoas sentem-se desconfortáveis ​​com demonstrações públicas de afeição e beijam-no pela primeira vez no terminal de chegadas do aeroporto. não o que eles têm em mente. Outras pessoas precisarão de algum tempo para se dividir com você antes que elas queiram compartilhar um beijo.

Então, converse sobre essa primeira reunião antes você chega lá. Especialmente se você quiser varrê-los em seus braços na chegada e beijá-los até que eles vejam estrelas, você realmente precisa ter certeza de que eles vão ficar bem com isso. Na verdade, você precisa ter certeza de que eles serão Mais do que OK com isso. Você passou muito tempo investindo nesse relacionamento, não quer sair do avião e fazê-los sentir-se desconfortáveis ​​porque você se mudou muito rápido.

3. Lembre-se de sentir-se nervoso é normal

Isto é totalmente normal para sentir uma combinação bastante intensa de nervoso / assustado / excitado antes de conhecer alguém com quem você se preocupou pela primeira vez.

Encontro pela primeira vez em pessoa é um grande negócio e um momento crucial em seu relacionamento. Você não é burro. Você sabe disso. E as coisas que são importantes em nossa vida geralmente provocam reações de grande repercussão emocional. Então lembre-se disso: Você é normal. Isto é normal.

4. Lembre-se de que eles sei quem é você

OK, a maioria de vocês não está na situação em que estive onde vocês estavam se encontrando pela primeira vez antes de vocês terem falado ao telefone. Na verdade, a essa altura, você provavelmente conversou por horas e horas no bate-papo por vídeo. Lembre-se de que essa pessoa te conhece.

Eles sabem como você é. Eles sabem como é o seu riso. Eles sabem como você fala e o que gosta de falar. Eles te conhecem em um nível profundo e gostam muito de você. Ficará tudo bem. O pior resultado aqui é que você está fazendo um bom amigo. O melhor resultado… bem, o céu é o limite.

5. Diga a si mesmo que você está animado, não com medo

Você sabia que a maneira como o seu corpo responde à excitação da mesma maneira que responde ao medo – liberando adrenalina em sua corrente sanguínea?

Essa adrenalina faz seu coração bater mais rápido, sua respiração acelerando, suas palmas das mãos suadas, etc.

As reações físicas causadas pela excitação e medo são realmente semelhantes, então, se nós sentir alegre ou com medo é muitas vezes devido à maneira como somos pensando sobre a nossa situação e interpretar os sinais de excitação do nosso corpo.

Em outras palavras, é a “fita” que está tocando em seu cérebro que rotulou sua excitação como “assustadora” ou “diversão incrível”.

Se você está no aeroporto pensando em todas as coisas que lhe preocupam e em todas as maneiras pelas quais as coisas podem dar errado, você vai sentirassustada.

Se você está lá lembrando de todas as coisas que você gosta sobre essa pessoa e de todas as maneiras que elas fazem você se sentir confortável e vivo, você provavelmente se sentirá menos assustado e mais animado.

Então, enquanto você está jogando o jogo em espera, lembre-se de que você é animado, não receoso.

6. Lembre-se porque você gosta tanto dessa pessoa

No último ponto, falamos sobre a importância da “fita em nosso cérebro” durante esses momentos. Quando você está tentando descobrir se está com medo ou apenas realmente animado, você vai (muitas vezes inconscientemente) estar “ouvindo” as mensagens naquela fita mental que está tocando em seu cérebro para ajudá-lo a fazer essa ligação.

Então… coloque algumas boas mensagens ou frases de efeito nessas fitas para ajudar a equilibrar as preocupações e incertezas. Aqui estão algumas coisas que você pode fazer:

  • Gastar tempo pensando sobre todas as coisas boas que você ama sobre ele ou ela.
  • Thin sobre o que eles disseram que amam sobre você e como você faz eles se sentirem.
  • Pense na sua última conversa em detalhes.
  • Pense no melhor cenário possível de como será sua primeira reunião.

7. Fale de volta aos medos específicos

Às vezes, também pode realmente ajudar a “responder” a preocupações específicas que encontramos em nossa mente.

Por exemplo, se você está se perguntando se eles podem sair do avião e repentinamente mudar de idéia sobre o que sentem por você, lembre-se de que é improvável que os sentimentos deles sobre você (ou o seu sobre eles) tenham sido repentinamente mudança radical durante sua jornada, não importa o quão ruim foi o vôo!

Quando você faz isso, você está reconhecendo seus pensamentos preocupados pelo que eles são. Você não está tentando ignorá-los ou fingir que não está se sentindo nervoso. Mas você também não precisa deixar esses pensamentos enlouquecer em sua mente. Reconheça-os, aceite que eles estão lá e, em seguida, fale com eles concentrando-se na lógica, nos pensamentos e nas memórias que neutralizam essas preocupações.

8. Respire fundo

A frase “respire fundo” é tão usada que é quase um clichê, não é? No entanto, não pude deixar de respirar porque vou respirar fundo realmente ajudá-lo aqui.

Por quê?

Bem, você sabia que quando se sente nervoso ou irritado (ou muito excitado) sua frequência cardíaca acelera?

E uma vez que sua freqüência cardíaca excede um certo nível (cerca de 10% acima da taxa de repouso), você fica “inundado”. A adrenalina e outros produtos químicos de estresse são despejados em seu sistema. Esses produtos químicos dificultam pensar com clareza ou foco. Quanto maior a sua freqüência cardíaca, mais estressado e ansioso você tende a se sentir.

Respirar profundamente e devagar envia uma mensagem de “acalme-se” ao seu corpo e ajuda a reverter a resposta ao estresse. Então, enquanto espera para conhecê-los, concentre-se em respirar lenta e profundamente. Respire para a contagem de quatro, para a contagem de quatro, para a contagem de quatro … etc.

9. Entenda que fazer contato visual e ouvir sua voz pessoalmente parecerá estranho inicialmente

Depois de se acostumar tanto a se conectar via vídeo, fazer contato visual em pessoa provavelmente vai parecer um pouco estranho e intenso inicialmente. E aqui está algo que você pode não esperar, mas também é normal – a voz deles provavelmente soará um pouco diferente em pessoa.

O vídeo na Internet é muito bom para captar vozes (melhor que uma linha telefônica), mas ainda não é perfeito para capturar todos as frequências na voz de alguém. Isso significa que, quando você se encontra pessoalmente, a voz deles provavelmente soará um pouco diferente do que você esperava, porque agora você só está ouvindo todas as freqüências.

Se você espera que essas coisas pareçam um pouco estranhas no começo, isso não vai te atrapalhar muito.

10. Planeje com antecedência

Se você está nervoso, descubra com o que está mais nervoso e faça um plano para resolver isso.

Se você tem medo de não saber o que dizer um para o outro, por exemplo, pense em algumas perguntas que deseja fazer ou em coisas que deseja discutir em conjunto.

Se você está preocupado, as coisas vão parecer estranhas e estranhas, planeje o que você vai fazer juntos no primeiro dia – talvez vá a um restaurante favorito ou faça outra coisa divertida e relaxante. Ter um plano em prática (mesmo que você não acabe fazendo isso) ajudará você a se sentir mais no controle e muito mais relaxado.

Isso é tudo de mim por agora. Espero que você consiga controlar esses nervos e tenha um ótimo primeiro encontro! E se você quiser mais informações importantes sobre a reunião pessoalmente pela primeira vez, não se esqueça de conferir nosso guia completo para ter uma ótima primeira reunião.

muito bem sucedida.
Lisa

Encontro às cegas: “A minha memória está um pouco gelada” | Vida e estilo

Max em James

O que você estava esperando?
Para passar o jantar sem querer sair. E atração mútua.

Primeiras impressões?
Alívio! O restaurante tinha nos sentado fora da vista um do outro por meia hora, então eu pensei que tinha me levantado. Eu estava prestes a sair quando o garçom veio e explicou.

O que você falou sobre?
Onde crescemos, famílias, o que conseguimos fazer durante o verão, viajar, minha camisa horrível, música e trabalho.

Algum momento estranho?
Os longos 28 minutos e meio em que pensei que estava de pé.

Boas maneiras à mesa?
Sim. Ele foi muito educado para a equipe do restaurante.

Melhor coisa sobre James?
Ele era muito curioso, mas não de uma maneira intensa. Houve forte contato visual durante toda a noite – e ele tinha olhos bonitos.

Você o apresentaria a seus amigos?
Definitivamente.

Descrever ele em tres palavras
Bonito. Cheeky Inteligente.

O que você acha que ele fez de você?
Eu estava nervosa no começo, então ele provavelmente achou que eu era bem tímido. Ele riu muito, então espero que ele tenha um bom senso de humor.

Você foi em algum lugar?
Para um bar para coquetéis. Nós bopped – foi divertido.

E você beijou?
Sim, nós fizemos.

Se você pudesse mudar uma coisa sobre a noite, o que seria?
Ele pediu um coquetel que achou que eu gostaria. Fiz uma careta e cuspi no copo. Eu deveria ter pescoçado e agradecido a ele.

Marcas de 10?
9

Você se encontraria novamente?
A data dois está no diário da próxima semana.

James no Max

O que você estava esperando?
Para conhecer um cara que eu poderia levar para casa para meus pais.

Primeiras impressões?
Ele era fofo e eu gostava da sua camisa de seda. Acontece que ele estava usando algo diferente, mas derramou seu almoço nele. Que foi fofo.

O que você falou sobre?
Família, feriados, nossos empregos … Minha memória é um pouco nebulosa enquanto eu bebia um pouco para acalmar meus nervos.

Algum momento estranho?
Eu o vi pela janela quando entrei, só para depois me sentar do outro lado do restaurante até que eles descobrissem que deveríamos estar juntos.

Boas maneiras à mesa?
Pelo que eu me lembro. Nós tivemos uma tonelada de comida e ele arrumou a mesa quando nós partimos que era adorável.

Melhor coisa sobre o Max?
Ele era um cavalheiro e nunca me fez sentir desconfortável.

Você o apresentaria a seus amigos?
Absolutamente, ele se encaixaria bem.

Descrever ele em tres palavras
Alto, moreno e bonito.

O que você acha que ele fez de você?
Espero que ele tenha pensado que eu era gentil e uma pessoa decente.

Você foi em algum lugar?
Para coquetéis.

E você beijou?
Muitas vezes. Eu não tenho nenhum problema com beijos no primeiro encontro.

Se você pudesse mudar uma coisa sobre a noite, o que seria?
Eu estive menos bêbado.

Marcas de 10?
8

Você se encontraria novamente?
Sim! Próxima quarta-feira.

Max e James comeram em Little Kolkata, Londres WC2.

Gosta de um encontro às cegas? Email blind.date@theguardian.com

Se você deseja conhecer alguém com a mesma opinião, visite soulmates.theguardian.com

Este artigo contém links de afiliados, o que significa que podemos ganhar uma pequena comissão se um leitor clicar e fizer uma compra. Todo o nosso jornalismo é independente e não é influenciado por nenhum anunciante ou iniciativa comercial.
Os links são alimentados por skimlinks. Ao clicar em um link de afiliado, você aceita que os cookies de Skimlinks serão definidos. Mais Informações.

Intimidade emocional no casamento – Top mais construtor de relacionamento

Você sabe que a intimidade emocional no casamento é a qualidade mais difícil de incorporar ao seu relacionamento quando você é recém-casado?

intimidade emocional no casamento é um ingrediente chave para um bom relacionamento

Você pode discordar de mim.

Afinal, você se casou com o amor intenso que você tinha um pelo outro. Você também sente que entende muito bem o seu cônjuge.

“Nada pode dar errado com o meu casamento”, você presunçosamente diz a si mesmo.

Mas você está em um choque.

Depois do casamento, seu relacionamento muda drasticamente. Suas expectativas são frustradas e destruídas. Na verdade, você luta para manter a mesma intimidade emocional que desfrutava antes do casamento.

Ambos são surpreendidos pelas mudanças negativas que seu relacionamento sofre, não é?

Os primeiros meses de seu casamento são empolgantes, já que ambos não podem ter o suficiente um do outro. Você acha sua esposa fisicamente excitante.

A intimidade sexual que você gosta faz você sentir que estava certo em se casar com seu cônjuge. Mas com o passar dos dias, sua mente busca algo além da intimidade sexual do seu cônjuge.

O que exatamente você quer do seu cônjuge?

Você almeja a intimidade emocional dele.

“A paixão é a mais rápida de desenvolver e a mais rápida a desaparecer. A intimidade se desenvolve mais lentamente e o comprometimento é mais gradual ainda ”- Robert Sternberg

O que exatamente é intimidade emocional no casamento?

A intimidade sexual é puramente física, mas a intimidade emocional no casamento está ligada à satisfação que você desfruta em seu relacionamento.

A maioria dos casais recém-casados ​​se sente confusa quando seu relacionamento mergulha da excitação ao tédio, do ajustamento aos argumentos amargos, da admiração à crítica e do amor à indiferença.

Por que isso acontece com o seu casamento?

É porque, quando vocês moram juntos, ambos abandonam a pretensão de bondade que usavam como armadura durante os seus dias de amor. Ambos sempre colocam seu melhor pé em frente quando estão apaixonados. Ambos nunca mostraram seu lado negativo ao outro.

Então, ambos estão certos de que nada vai mudar depois do casamento também.

Mas, ambos estão em grande decepção depois que você entra no casamento. Você não é o que você se mostrou para ser. Seu cônjuge não é o que ele lhe mostrou. Você vê muitas qualidades nele que você não gosta. Ele não gosta de muitos de seus hábitos e características.

Você está totalmente desapontado quando seu cônjuge não é tão amoroso e apoiador quanto ele costumava ser em seus dias de amor. Isso faz você se sentir casado com uma pessoa errada.

Isso significa que os recém-casados ​​não podem desfrutar da verdadeira intimidade emocional no casamento?

De modo nenhum.

Você também pode desfrutar de intimidade emocional, desde que você conheça os seguintes truques!

1. Aceite seu cônjuge como ele é

A maioria de vocês coloca o seu melhor pé em frente quando você está apaixonado. Você ajusta-se facilmente às pequenas falhas do seu cônjuge.

Mas depois do casamento, você quer que o seu cônjuge se comporte como preferir. Isso cria um ressentimento incrível em seu relacionamento.

Quando você aceitou seu cônjuge com todas as suas falhas antes do casamento, você deve fazer o mesmo depois do casamento também.

Quando você continua insistindo que sua esposa muda, a intimidade emocional é cortada pela raiz.

2. Ter espaço pessoal suficiente

Você insiste que seu cônjuge passe a maior parte do tempo com você?

Nada de errado nisso.

Mas você insiste que ele só passa tempo com você?

É quando o seu casamento começa a falhar. Quando você se torna muito possessivo, seu cônjuge fica entediado e desinteressado com sua empresa.

Ele perde o seu espaço pessoal, você sabe.

Nunca, nunca, cometer esse erro de relacionamento.

Que haja um lindo espaçamento entre vocês. Você deve ser capaz de fazer o que quiser e seu cônjuge deve ter a mesma liberdade.

Por que desfrutar do seu próprio espaço pessoal desenvolve intimidade emocional no casamento?

Quando você é recém-casado, tem todo tipo de dúvidas de que sua individualidade seria perdida. Quando seu cônjuge lhe dá o espaço necessário, você se sente feliz por seu casamento não forçar você a mudar.

Ninguém gosta de mudar sua individualidade, não é?

3. Passe tempo de qualidade juntos

Gastar tempo de qualidade juntos é uma excelente ferramenta para desenvolver uma incrível intimidade emocional no casamento. Não adianta estar fisicamente junto com seu cônjuge e gastar seu tempo assistindo televisão ou navegando na net.

Quando você faz isso, você nunca realmente interage com seu cônjuge.

A menos que você continue se comunicando, você nunca realmente o compreenderá.

Quando você não interage com o seu cônjuge, você fica muito distante um do outro mentalmente.

Você deve passar tempo de qualidade com o seu cônjuge para incorporar a intimidade emocional no casamento.

Conversa fiada com o seu cônjuge. Fale sobre filmes. Tem passatempos mútuos. Ir para longas caminhadas. Faça jardinagem. Seja bem humorado. Seja engraçado. Provoque um ao outro.

O tempo de qualidade que você passa juntos é um gergelim aberto para desfrutar de uma intimidade emocional de qualidade com o seu cônjuge.

4. Seja protetor em relação ao outro

É comum ver recém-casados ​​sem saber o verdadeiro significado de serem protetores uns com os outros.

O significado é simples.

Quando seu cônjuge está emocionalmente ferido, você deve sentir a dor.

Quando seu cônjuge está sendo criticado, o insulto é para você também.

Como recém-casados, você se sente fácil de tirar sarro do seu cônjuge, sem saber a dor que está infligindo.

Este não é o caminho para começar sua vida de casada.

Quando alguém tenta degradar seu cônjuge, você deve brotar imediatamente com a proteção dele.

Seu cônjuge deve ter a confiança de fazer a coisa mais idiota sem você ridicularizá-la.

Quando ele estiver estressado, nunca o ignore. O estresse que ele sofre deve ser seu. Pronuncie palavras consoladoras para que seu cônjuge se sinta protegido.

“Eu estou aqui para você” é uma maneira enfática de desenvolver uma intimidade emocional extraordinária entre você.

5. Saiba que você nem sempre está certo

Quando você é recém-casado, suas emoções são cruas e vivas.

Quando a sua vida de casada não corresponde às suas expectativas, você está todo nervoso.

Você está psicologicamente abalado quando sente que seu cônjuge é negativamente diferente da pessoa que você amou e acariciou.

Isso faz você lutar e discutir com ele por razões mesquinhas. Você sente que está sempre certo e seu cônjuge está sempre errado.

Quando você começa a culpar seu cônjuge por todas as lutas que você tem, ele gradualmente se afasta emocionalmente de você.

Ainda outro erro de relacionamento.

Aceite suas falhas. Não se sinta egoísta em pedir desculpas ao seu cônjuge pelas palavras duras pronunciadas.

CONCLUSÃO

Os primeiros estágios do seu casamento devem servir de base para um casamento estável.

Por quê?

A intimidade emocional é muito difícil de construir. Leva anos de amor e apoio para incorporá-lo ao seu relacionamento. Desenvolva-a cedo para que a amargura e a indiferença nunca entrem na sua vida de casada.

Pergunte Lisa: Estou me sentindo preso no meu relacionamento

Tenho 21 anos e me formei em duas semanas. Eu tenho saído com um cara que conheci na faculdade por 2 anos agora. Ele é honestamente meu melhor amigo e nos divertimos muito juntos. Nosso relacionamento começou a se tornar muito rotineiro e raramente fizemos sexo. Acabei por romper com ele há alguns meses e ele levou a notícia extremamente difícil. Ele chorou muito sobre isso e me fez sentir como a pior pessoa de todas. Ele culpa me tropeçou todos os dias e questionou “Por que você faria isso comigo? Eu não mereço isso! ”Depois de me questionar todos os dias e me dizer que ele mudaria, decidi levá-lo de volta. As coisas estavam indo bem e eu estava começando a me sentir bem novamente. Mas agora, as coisas estão começando a se transformar na mesma coisa antiga. O sexo é completamente estranho entre nós e eu não tive o desejo de fazer sexo com ele e ele não entende o porquê. Estou me mudando de volta para casa da casa dos meus pais e ele me pergunta constantemente “Você não vai terminar comigo? Você realmente me ama?”

Eu me sinto como o homem nessa relação porque é tão sensível a tudo. Eu não posso lidar com a pressão dele e estou começando a me sentir preso. Mas estou com muito medo de romper com ele novamente, porque estou com medo de que ele vá perdê-lo. Por favor, ajude-me, eu sei que isso parece tão infantil, mas recorri a pedir conselhos porque estou tão confuso.

Pensamentos de Lisa …

Deixe-me começar dizendo que pedir orientação dessa maneira não é infantil.

Seu namorado parece muito vulnerável e inseguro, como demonstrado por suas reações quando você tentou romper com ele. O desespero é preocupante. Insegurança como essa pode se originar de relacionamentos inseguros anteriores ou senso de identidade, mas, em última análise, pode ser problemático para relacionamentos íntimos. Não só pode danificar o relacionamento, mas reflete um indivíduo vulnerável, com medo e dor. Comportamento pegajoso pode deixar a outra pessoa se sentindo presa. A ironia é que muitas vezes o desespero da pessoa para não perder a outra pode causar apenas isso. Pode se tornar uma profecia auto-realizável.

Você tem o direito de estar com a pessoa que se sente bem – não seja pressionado a ficar com alguém por medo de sua reação, se você sair. Dito isto, se o comportamento dele se tornar assustador ou se você tem medo dele (potencial para se machucar, se suicidar, etc.), envolva seus amigos e familiares como uma rede de apoio. Se ele ameaçar prejudicar a si mesmo e tiver um plano e meios para fazê-lo, ligue para o 911.

————————————–

Preciso de conselho? Considere uma Consulta de Relacionamento para orientação.

Elena Ferrante: ‘Existe uma fórmula para um relacionamento duradouro? Um amigo, casado há 48 anos, diz que há | Vida e estilo

TAs relações de casais são uma incorporação efetiva da precariedade de nossas vidas. Se encontrarmos alguém que não vemos há vários meses, hesitamos em dizer: “Diga a Franco olá de mim”. É melhor descobrir primeiro, por meio de perguntas circunspectas, se a relação com Franco ainda está ativa ou se ele tem foi substituído por um Gianni ou um Giorgio, porque mesmo os relacionamentos de mais longo prazo podem acabar de repente, e ninguém – hoje mais do que no passado – sabe a fórmula para garantir que o casamento durará.

Um velho amigo meu, casado há exatamente 48 anos, com um bom homem, diz que, na verdade, existe uma fórmula: você só precisa amar um ao outro. O problema, acrescenta em um tom divertido, é que amar uns aos outros por toda a vida é realmente árduo.

Primeiro, você tem que ser sempre atraente um para o outro, na cama e em outros lugares, mesmo que o corpo esteja continuamente mudando, mesmo que o que primeiro tenha atraído você se foi. Segundo, você tem que apreciar não apenas as virtudes de seu parceiro (muito fácil), mas também os vícios, especialmente aqueles que no começo estavam bem escondidos. Terceiro, você tem que demonstrar constantemente seu grande respeito por ele, mesmo quando está claro que você cometeu um erro e ele não merece o seu respeito, porque ele é um idiota perfeitamente normal. Quarto, você tem que olhar imediatamente para o outro lado quando sua fidelidade é casualmente retribuída com traição e, enquanto isso, esperar pelo menos ser traído com discrição, assim como você certamente fará assim que observar que ser fiel não lhe garante nada além de humilhação. Quinto, você tem que reprimir o desejo de quebrar tudo e sair, de se convencer de que os filhos precisam de um pai, mesmo quando ele é terrível, que envelhecer na solidão é muito pior do que envelhecer juntos e que se tornar adulto significa aceitar a vida é – isto é, repugnante. Em sexto lugar, você tem que acreditar, finalmente, que amar – com os pés no chão, não o que você imaginou quando menina – é um exercício de malabarismo habilidoso, um sacrifício permanente, engolindo elegantemente uma pílula amarga.

Lá, meu amigo diz, rindo, um relacionamento pode durar a vida toda. Perguntei a ela: seu casamento durou quase 50 anos porque foi isso que você e seu marido fizeram? Ela respondeu, irritada: o que você quer dizer com isso, temos tido sorte, temos um vínculo forte, nos amamos profundamente. Certamente há casais que são felizes e estáveis, e seu casamento é desse tipo – não deve ser discutido.

Então eu não falei mais sobre isso. Voltamos a conversar com diversão sobre casais, traições, sexo furtivo. As pessoas sempre fazem isso, mesmo quando sabemos que estamos falando de tragédias iguais a uma guerra nuclear. O leve sorriso é útil. É uma rota de fuga quando, por alguns segundos, nas histórias dos outros, temos um doloroso vislumbre de nós mesmos.

Traduzido por Ann Goldstein

Abuso de Infância Masculina, Mãe Ferida e Cura

Rick Belden é um sobrevivente de trauma com feridas físicas, sexuais e emocionais sofridas nas mãos de sua própria família quando jovem, deixando lacerações psicológicas na idade adulta. Através de seu próprio trabalho e crescimento através de poesia, ensaios e arte, Rick está usando sua experiência para ajudar a guiar os outros em sua jornada de cura.

Quando me deparei com o trabalho de Rick há mais de 10 anos, ele era uma voz bastante solitária sobre esses tópicos difíceis para os homens, lançando luz sobre o abuso masculino nas mãos das pessoas nas quais eles deveriam confiar mais. Seu livro de poesia, Family Outing Iron Man: Poemas sobre Transição para uma Masculinidade Mais Consciente, narrando em detalhes excruciantes sua história pessoal, era chocante e difícil de ler. Não é como se isso nunca tivesse acontecido com um homem, mas a maioria não estava falando sobre isso por causa da intensa vergonha em admitir essa vulnerabilidade, opondo-se às mensagens da sociedade sobre como os homens supostamente deveriam ser. Fiquei profundamente comovido com sua bravura.

Muitos anos depois, agora e parcialmente graças a Rick, o tema do abuso e da recuperação masculina tem menos estigma e há outros como ele oferecendo educação e apoio aos homens feridos.

Um dos tópicos que Rick explora em profundidade é a “ferida da mãe”.

“A Ferida Mãe é uma lesão à psique de uma criança, resultante de disfunção significativa ou interrupção de um relacionamento com a mãe. Em alguns casos, é o resultado da ausência ou indisponibilidade de uma mãe devido a morte, doença, adoção ou outras circunstâncias que separam dramaticamente uma criança da mãe. Mas, mais tipicamente, uma Ferida Materna é um conjunto complexo de lesões que a psique da criança recebeu ao longo de muitos anos, muitas vezes como resultado da mãe agindo inconscientemente ou fora de sua própria ferida. ”- Rick Belden

Como você sabe se você está carregando esses tipos de feridas? Pergunte a si mesmo as três perguntas a seguir:

  1. É aceitável que você se sinta irritado ou crítico com sua mãe?
  2. Você acha que está tudo bem dizer à sua mãe “não” quando ela quer alguma coisa, incluindo seu tempo e atenção?
  3. Como você se sente depois de ter interagido com ela? Como você se sente no dia seguinte?

Rick Belden recentemente falou sobre “Curando a Mãe Ferida em Homens” com Ka'Bu Ma'at Kheru em seu programa “Running African” no IRIE FM na Jamaica.

Rick é um treinador de vida (RickBeldenCoaching.com) com foco em psicologia masculina, recuperação de abuso e outros problemas masculinos. Embora ele não seja um terapeuta treinado, sua experiência de vida e jornada em recuperação fornecem um benefício único na compreensão para aqueles que estiveram lá. Ele também é um convidado frequente em programas de rádio e podcast, falando sobre feridas de mãe, feridas no pai, homens e luto, cura de abuso na infância e muito mais.

Quando você deve conhecer pela primeira vez em um relacionamento de longa distância?

Se você encontrar alguém interessante on-line, terá que decidir em algum momento quando quiser ter o relacionamento desligada e se encontram no mundo real. Então, quando é melhor se encontrar pela primeira vez pessoalmente? O mais rápido possível? Ou depois de ter dado tempo para a conexão se aprofundar e fortalecer?

Cada situação e relacionamento é único, portanto, não há uma resposta única para isso. Mas, em geral, minha resposta a essa pergunta é: Assim que razoavelmente possível.

No meu caso, isso durou três meses. Na sua, pode ser de três semanas ou um ano. Não empurre as coisas também rápido – não há motivo para pular em um avião para encontrar alguém que você conheceu em uma sala de bate-papo no último final de semana. Mas, supondo que você possa pagar por isso e esteja fora da escola, geralmente não há motivo para passar mais de seis meses sem se encontrar pessoalmente pelo menos uma vez.

Então, por que é tão importante encontrar-se cara a cara assim que você razoavelmente puder? Aqui estão três razões:

1. Ele ajudará você a saber certo você não está sendo catado (ou enganado)

A maioria das pessoas se tornará mais ou menos quem elas dizem ser. A maioria das pessoas geralmente tem boas intenções. A maioria, no entanto, não é todos.

É uma triste realidade que os golpes de romance de longa distância estejam em ascensão. Você pode pensar que nunca se apaixonaria por um golpista, mas não subestime o quanto essas pessoas são boas em provocar emoções e fazer conexões intensas. Se você ainda não conheceu pessoalmente, você realmente deveria ler este artigo 5 golpes de longa distância comuns e como você pode se proteger.

2. Quando você se encontrar pela primeira vez, ele irá ajudá-lo a tirar os óculos cor de rosa que você estamos vestindo

Nos estágios iniciais de um relacionamento, todos estão propensos a ver o objeto de seus afetos em flor através de óculos cor-de-rosa. Os psicólogos chamam isso de “efeito halo”. Na prática, isso significa que, durante os primeiros meses (às vezes anos) de conhecer alguém que achamos atraente, tendemos a supor que eles são maravilhosos em todos os outros tipos também.

Em outras palavras, quando somos atraídos pelo sorriso brilhante de alguém, cabelos brilhantes ou mensagens de texto expressivas, tendemos a supor que ele também é inteligente, gentil e interessante.

Esse tipo de idealização rosada acontece quando começamos a namorar alguém que mora na mesma rua. No entanto, é ainda Mais fácil idealizar alguém quando moram longe e temos apenas cartas, textos e telefonemas para nos ajudar a conhecê-los.

É fácil idealizar alguém quando moram longe e temos apenas cartas, textos e telefonemas para nos ajudar a conhecê-los.Lisa McKay

Em situações de longa distância, nossa visão idealizada de alguém geralmente está ainda mais distante da realidade. Também pode levar muito mais tempo até começarmos a ver as diferenças entre a pessoa que imaginamos ser e a pessoa que ela realmente é na vida real.

É praticamente impossível tirar completamente esses óculos cor-de-rosa durante os primeiros estágios de um relacionamento, mas a reunião pessoalmente ajuda definitivamente.

Quando você conhece alguém pessoalmente, aprende muito sobre como ele se parece, se movimenta, age, cheira … e muito mais. Tudo isso cria uma imagem mais firme de quem eles são em sua mente. Antes de se encontrar pessoalmente, seu cérebro preencherá as lacunas nesse tipo de coisa imaginando todo tipo de coisas boas. A reunião ajudará a mover suas ideias sobre essa pessoa para mais perto do realidade desta pessoa, e isso é sempre uma coisa boa.

É uma coisa boa se você se encontrar pessoalmente e decidir estamos interessado em ficar sério. E os seus ainda uma coisa boa a longo prazo se você se encontrar pessoalmente e um ou ambos decidirem que você é não interessado em levar as coisas adiante. A segunda possibilidade é doloroso, é claro, mas se isso vai acontecer, você não saberia mais cedo ou mais tarde?

3. Quando você se encontrar pessoalmente, aprenderá se tiver “química”

Vários anos antes de conhecer meu marido, Mike, um amigo meu me enviou um ensaio que ela havia tropeçado e apreciado. Esse ensaio foi escrito por um homem chamado Ryan que vivia no Afeganistão na época.

“Fiz trinta anos no Afeganistão”, começou o ensaio de Ryan. “Foi meu segundo aniversário aqui. No ano passado fui atingido por uma estranha gripe três dias antes e a febre finalmente quebrou quando entrei no último ano dos meus vinte anos. Meu amigo, Halim, entrou no meu quarto aos meus gemidos fracos e alegremente me ofereceu uma tigela de arroz e feijão. Ele me disse novamente que, sem dúvida, eu tinha malária. “Hoje cheque sangue?”, Ele perguntou esperançoso, como em qualquer outro dia. Aqui tudo é malária. Se você tem dor de dente, suspeita de malária.

Foi um ensaio curto, com pouco mais de mil palavras, mas inspirou o primeiro lampejo de interesse verdadeiramente elétrico que eu senti em muito tempo. Depois que eu terminei de ler a peça, eu a encaminhei para os meus pais com um breve e alegre, “Leia isto. É incrível. Vou localizá-lo e fazê-lo se apaixonar por mim.

Demorou meses, mas, eventualmente, acompanhei Ryan.

Depois que eu insisti em Ryan para concordar em ser meu amigo, ele me enviou o resto dos ensaios que ele escreveu durante seu tempo no Afeganistão. Eu amava seu estilo de escrita irônico, mas pensativo, e sua visão da vida. Com o passar das semanas, Ryan deixou o Afeganistão e retornou ao Canadá. Ele e eu começamos a trocar e-mails leves e provocantes com mais frequência, e me tornei completamente apaixonado.

Eu achei que havia uma boa chance de finalmente encontrar minha alma gêmea.

Havia apenas alguns problemas com esse cenário. A essa altura, eu já estava namorando outra pessoa (também de longa distância – uma outra história que não vou contar aqui). Eu nunca tinha visto uma foto de Ryan. E Ryan não tinha ideia da profundidade do meu interesse.

O que fazer?

Claramente, a resposta para essa pergunta era comprar uma passagem de avião para Vancouver, fingir para Ryan (e meu namorado) que eu tinha um motivo de trabalho válido para a viagem, e voar até o Canadá para verificar Ryan. Claramente.

Então foi isso que eu fiz.

Soa ridículo agora, para não mencionar mais do que um pouco moralmente duvidoso. Mas você sabe o que? Indo para o Canadá para conhecer Ryan foi uma das melhores decisões que tomei durante todo esse período louco da minha vida. Isso acabou de repente com minha imaginação febril de que Ryan e eu éramos almas gêmeas e meus devaneios sobre nosso casamento.

Porque não havia química em pessoa. Nenhum.

Talvez você não consiga se encontrar on-line em um final de semana e pessoalmente no próximo, mas, mesmo quando estiver longe, ainda assim deve procurar se encontrar pessoalmente assim que puder.Lisa McKay

Essa falta de química não era nem mesmo algo em que eu pudesse colocar meu dedo. Ryan se mostrou bem parecido – alto e loiro, com olhos azuis. Eu acho que foi mais que Ryan parecia tão diferentepessoalmente ao que eu imaginava. O Ryan de suas cartas era confiante e atrevido, enérgico e espirituoso, sábio e articulado. O Ryan em pessoa estava quieto, reservado, cauteloso e tímido.

Eu me diverti muito saindo com Ryan em Vancouver naquele fim de semana, mas apenas como amigos. Não havia nem mesmo uma sugestão de que qualquer um de nós pudesse querer algo mais a longo prazo.

Eu voltei no avião para Los Angeles com minhas perguntas sobre Ryan respondeu. Minhas visões não corresponderam à realidade. Eu não me sentia atraído pela realidade. Ele não tinha sido atraído por mim também. Se nos tivéssemos encontrado pessoalmente mais cedo, antes Eu tinha investido dezenas de horas obcecado com minhas próprias visões e imaginações, eu teria aprendido tudo isso antes e me salvaria um pouco de dor e muito tempo e energia.

Paul Carrick Brunson, um matchmaker profissional e autor do livro, É complicado (mas não precisa ser) diz isso no tópico. “É fácil se relacionar com alguém quando o risco de interação é baixo – um e-mail aqui, um bate-papo por mensagem instantânea. A única maneira de descobrir se você é realmente compatível ou possui aquela coisa sempre esquiva chamada “química” é se encontrar pessoalmente … E você deve fazer isso enquanto o fardo e as expectativas são baixos. “

Brunson escreve principalmente sobre namoro online. Quando você encontra alguém on-line que o youthink pode ter potencial, ele recomenda que você o encontre para tomar café assim que possível depois de fazer a primeira conexão. Uma data do café, argumenta Brunson, é pública, limitada no tempo e de baixa pressão. Ele permite que você avalie se deseja ou não dar o próximo passo e ver essa pessoa novamente.

Isso é ótimo conselho. Você pode não saber se você gostaria de sair com alguém depois de um único café, mas muitas vezes você sabe se definitivamente não quer namorar com alguém. Conhecer alguém logo após você se conectar e em um ambiente discreto mantém a pressão, as expectativas e os limites baixos.

O problema?

Bem, se você está lendo este guia, já conhece o problema. Isso tudo fica muito mais logisticamente desafiador quando você está falando sobre um relacionamento que começou à distância. A menos que um ou ambos tenham muito dinheiro e tempo para queimar, é impossível encontrar um café quando você mora em Nova York e moram em Los Angeles.

Mas aqui está a questão de quando é melhor se encontrar pela primeira vez …

Talvez você não consiga se encontrar on-line em um final de semana e pessoalmente no próximo, mas, mesmo quando estiver longe, ainda assim deve procurar se encontrar pessoalmente assim que puder.

Não se apresse em conhecer alguém, mas também não demore muito. Se possível, encontre-se pessoalmente antes que qualquer um de vocês tenha investido muito tempo ou energia emocional em seu relacionamento.

Encontro às cegas: “Deveríamos ter saído de lá como criminosos!” Vida e estilo

Âmbar em Ellie

O que você estava esperando?
Meu futuro parceiro de vida e co-pai para nossos filhos. Na falta disso, uma noite descontraída em boa companhia.

Primeiras impressões?
Eu a vi andar ao redor do lado do restaurante e esperava que ela fosse meu encontro.

O que você falou sobre?
Nossos trabalhos, uni, viagem, vida em Londres e como é desafiador encontrar tempo e dinheiro para fazer tudo que gostaríamos.

Algum momento estranho?
No momento em que ela disse que não se sentia pronta para ter filhos porque não queria que sua vida acabasse. Considerando que, para mim, parece que ter filhos é quando minha vida vai realmente começar.

Boas maneiras à mesa?
Impecável.

Melhor coisa sobre a Ellie?
Ela tem uma qualidade adorável, relaxada e calma. Ela também disse que eu não era mal por comer carne.

Você a apresentaria a seus amigos?
Absolutamente.

Descrever Ellie em três palavras
Calma, educada, envolvente.

O que você acha que ela fez de você?
Eu contei algumas histórias sobre o meu passado, então depende do que ela fez deles.

Você foi em algum lugar?
Não, acho que havia um sentimento mútuo de que era hora de ir para casa.

E você beijou?
Não, nós tivemos um abraço amigável boa noite.

Se você pudesse mudar uma coisa sobre a noite, o que seria?
Ellie é adorável, mas não houve faísca e definitivamente estamos procurando por coisas muito diferentes.

Marcas de 10?
8

Você se encontraria novamente?
Sim, gostaria de ver as habilidades de improvisação de Ellie em ação e apresentá-la a um amigo que talvez esteja procurando as mesmas coisas que ela.

Ellie em âmbar

O que você estava esperando?
Uma risada e um pouco de química.

Primeiras impressões?
Ela tinha um grande sorriso e parecia adorável e aberta.

O que você falou sobre?
Viajando, teatro, família, a dominação gay masculina da cultura LGBTQ +.

Algum momento estranho?
O “o que fazemos agora?” Quando nos separamos.

Boas maneiras à mesa?
Muito! No entanto, eu nunca estive em um jantar antes, e meus hábitos alimentares são provavelmente nojentos, então ela pode não dizer o mesmo sobre mim …

Melhor coisa sobre Amber?
Ela tem algum ótimo histórias.

Você a apresentaria a seus amigos?
Não como uma data, mas ela seria bem vinda para sair.

Descreva-a em três palavras
Amigável, interessante, terra-a-terra.

O que você acha que ela fez de você?
Ela sugeriu que trocássemos números, pelo menos pelo menos amigos.

Você foi em algum lugar?
Nós dois fomos para casa.

E você beijou?
Não. Zero química.

Se você pudesse mudar uma coisa sobre a noite, o que seria?
Mesmo que a refeição estava em casa, ainda nos sentimos como se tivéssemos que verificar novamente. Deveríamos ter acabado de sair de lá como criminosos! Isso teria sido selvagem.

Marcas de 10?
7

Você se encontraria novamente?
Possivelmente como amigos.

Ellie e Amber comeram no Hoppers, Londres W1. Gosta de um encontro às cegas? Email blind.date@theguardian.com Se você deseja conhecer alguém com a mesma opinião, visite soulmates.theguardian.com

Este artigo contém links de afiliados, o que significa que podemos ganhar uma pequena comissão se um leitor clicar e fizer uma compra. Todo o nosso jornalismo é independente e não é influenciado por nenhum anunciante ou iniciativa comercial.
Os links são alimentados por skimlinks. Ao clicar em um link de afiliado, você aceita que os cookies de Skimlinks serão definidos. Mais Informações.